Presidente da República entregou Prémio BIAL na Escola de Ciências da Saúde

07 Maio 2011

A Escola de Ciências da Saúde (ECS) da UMinho foi palco a 6 de Maio da cerimónia de entrega do Prémio BIAL. A sessão científica de apresentação dos trabalhos premiados realizou-se às 10h, seguindo-se um intervalo e, às 11h30, a cerimónia de entrega do Prémio BIAL 2010, presidida pelo Senhor Presidente da República, Prof. Aníbal Cavaco Silva.

A Escola de Ciências da Saúde (ECS) da Universidade do Minho foi palco a 6 de Maio da cerimónia de entrega do Prémio BIAL. A sessão científica de apresentação dos trabalhos premiados realizou-se a partir das 10h00, seguindo-se um intervalo e, às 11h30, a cerimónia de entrega do Prémio BIAL 2010, presidida pelo Senhor Presidente da República, Prof. Aníbal Cavaco Silva.

Considerado um dos prémios de investigação científica de maior prestígio a nível mundial na área da Saúde, o Prémio BIAL recebeu na sua 14ª edição um número recorde de 63 candidaturas, sendo 48 de Portugal e 15 de equipas de investigação internacionais (Brasil, Canadá, Espanha, EUA, Itália, Reino Unido e Peru). Na cerimónia foram premiados cinco trabalhos inéditos que estão na vanguarda da investigação científica nesta área, sendo um deles o “Grande Prémio BIAL de Medicina”, no valor de 200 mil euros, que este ano recebeu 31 candidaturas. Foram entregues também quatro menções honrosas no valor de 5 mil euros.

Júri do Prémio BIAL presidido pelo Prof. Nuno Sousa, da ECS-UMinho

O júri do Prémio BIAL 2010 foi presidido pelo Professor Nuno Sousa, da ECS-UMinho, e constituído por representantes das Escolas de Medicina portuguesas, nomeadamente os Professores Agostinho Almeida Santos (Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra), António Sousa Guerreiro (Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa), Carlos Lopes (Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto), Henrique de Barros (Faculdade de Medicina da Universidade do Porto), Joana Palha (Escola de Ciências da Saúde), José Manuel Calheiros (Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior) e Leonor Parreira (Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa).

Atribuído de dois em dois anos, o Prémio BIAL foi instituído em 1984 e visa distinguir e divulgar trabalhos de grande repercussão na área da investigação médica. Desde a sua criação já analisou 518 obras candidatas e mobilizou 1156 investigadores, médicos e cientistas, tendo distinguido 227 autores (87 obras). Como resultado de mais de 25 anos comprometidos com a investigação foram editadas e distribuídas gratuitamente pela classe médica e científica mais de 30 obras premiadas, num total de mais de 295.000 exemplares.

A Fundação BIAL é uma instituição sem fins lucrativos, considerada de utilidade pública, criada em 1994 pelos Laboratórios BIAL em conjunto com o Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP). Tem como missão a promoção do estudo do Homem, distinguindo-se pelo seu papel incentivador da investigação médica e científica a nível internacional. A Fundação BIAL atribui também Bolsas de Investigação Científica na área das Neurociências e organiza o Simpósio “Aquém e Além do Cérebro”.