Antigo estudante de Medicina vê projecto premiado

13 de Março de 2017

Enfermaria 1

Pierre Gonçalves, antigo estudante da Escola de Medicina da Universidade do Minho, faz parte da equipa de pediatras do Instituto Português de Oncologia que recebeu o 1º prémio da Fundação Rui Osório de Castro/Fundação Millennium BCP.

O prémio, no valor de 15 mil euros, foi atribuído a uma equipa constituída por Joaquin Duarte, coordenador do projecto, Pierre Gonçalves e Teresa Martins.

O projecto premiado tem como objectivo reduzir os tempos de internamento das crianças que têm neutropenia febril, que pode ser uma consequência dos tratamentos de quimioterapia. O estudo vai começar agora e tem duração prevista de dois anos.

 

Equipa do ICVS publica na Nature

11 de Julho de 2016

Estudo redefine função de neurónios responsáveis pela motivação

 

O ser humano sente prazer quando satisfaz uma necessidade ou desejo. A percepção do prazer é importante para a sobrevivência, porque faz com que os indivíduos se esforcem por determinadas acções que satisfazem as suas necessidades. Estas acções podem variar entre comer a comida preferida, beber um copo de vinho, fazer sexo ou ouvir uma música de que se goste. Tudo isto activa um circuito cerebral chamado sistema de recompensa. Este circuito abrange várias áreas cerebrais, entre elas o nucleus accumbens. Esta área é composta por dois tipos principais de neurónios, os D1 e os D2, que se pensava terem funções contrárias no comportamento. Os D1 estão associados ao processamento de estímulos positivos (como o prazer) e os D2 estão associados aos estímulos negativos.

A equipa liderada por Ana João Rodrigues e Nuno Sousa reavaliou a função destes neurónios no comportamento. O objectivo era compreender melhor o circuito de recompensa, que pode ser disfuncional em indivíduos com problemas de depressão ou de abuso de substâncias. Partindo do pressuposto de que a motivação leva os indivíduos a trabalhar para receber algo em troca, os investigadores do ICVS usaram ratos em restrição calórica para perceber a motivação em procurar uma recompensa.

Assim, os investigadores perceberam que os dois tipos de neurónios eram activados e que quanto maior a motivação mais neurónios D1 e D2 estavam activos. Os resultados do estudo agora publicado na prestigiada revista científica Nature Communications mostram que, contrariamente ao esperado, tanto os neurónios D1 como os D2 têm um papel importante na motivação.

 

 

Curso de Competências de Comunicação Clínica para Enfermeiros

2 de Novembro de 2015

IMG_0127

 

A Alumni Medicina em parceria com o Laboratório de Aptidões Clínicas, realizou nos dias 31 de outubro e 1 de novembro o Curso de Competências de Comunicação Clínica para Enfermeiros no Hotel dos Templários, em Tomar.

Proporcionado por uma equipa com experiência na formação de profissionais de saúde, o Curso de Competências de Comunicação Clínica para Enfermeiros contou com 19 inscritos que certificaram competências no domínio da comunicação com o paciente em contexto clínico. O treino é efetuado com recurso a pacientes estandardizados, treinados especificamente para o efeito.

Alumni Medicina tem novo presidente

16 de Fevereiro de 2015

UMDicas_NG_ALumnimed2015 (1)

A sede da Alumni Medicina foi pequena para acomodar todos os presentes. Numa cerimónia carregada de simbolismo, a Alumni Medicina deu posse aos novos órgãos sociais para o biénio 2015/16. Vitor Hugo Pereira (2002-08) será o novo Presidente da Direcção, sucedendo a Pedro Morgado (2001-07) que liderava o projecto Alumni desde a sua fundação em 2007. A direcção integrará algumas caras novas, mas integra grande parte dos antigos dirigentes, uma garantia de que o valor criado não se perderá.

No discurso de balanço das actividades realizadas, Pedro Morgado destacou o Fundo de Emergência Social, uma iniciativa que permite que todos terminem o curso de Medicina independentemente das suas disponibilidades financeiras, salientou a qualidade das actividades com as quais contactaram mais de 1.000 pessoas ao longo dos últimos anos e referiu a abertura do Espaço Arte Alumni, uma autêntica galeria de arte no átrio da Escola de Ciências da Saúde. O presidente cessante que agora assume funções na Vice-Presidência da associação agradeceu ainda o apoio institucional da ECS e o trabalho de equipa desempenhado por todos os que colaboraram com a Alumni Medicina ao longo dos últimos anos.

Vitor Hugo Pereira, presidente eleito, destacou a qualidade da herança, afirmando total disponibilidade para corresponder às elevadas expectativas dos associados. O Presidente da Alumni Medicina referiu ainda as condições herdadas que permitem a contratação futura de um colaborador para a associação e reafirmou a sua vontade de fazer mais e melhor pelos antigos estudantes de Medicina da Universidade do Minho.

Na cerimónia, o Professor Nuno Sousa e a Professora Cecília Leão, Vice-Presidente e Presidente da ECS, respectivamente, fizeram dois discursos emocionados e emocionantes destacando o trabalho da Alumni e o significado da sua missão para a Escola de Medicina.

Reportagem fotográfica no site UM Dicas.

Alunos aprendem Medicina no fim do mundo

22 de Julho de 2014

“O mais longe possível. É lá para a serra, mas fica longe”, avisa o motorista da carrinha que se prepara para, durante três dias, calcorrear a freguesia de Gondoriz, com seis jovens alunos de Medicina a bordo. Chefia o grupo Sara Moura, a “Capitão Moura”, nome dado pelos colegas, numa brincadeira entre eles aludindo ao antigo programa de televisão “A Liga dos Últimos”. Às suas ordens, estão João, Joana, Nuno, Mariana, Praticcha e Kelly.

António Veloso, 70 anos, homem da terra, é quem conduz. “Vou levá-los a Ferreiros. E assim começa o projeto “Aldeia Feliz” do Núcleo de Estudantes de Medicina da Universidade do Minho, para seis dos 25 estudantes que se voluntariaram para dar apoio médico a cerca de 200 idosos isolados de cinco aldeias de Arcos de Valdevez. A ideia é que os visitem no domicílio, façam rastreios cardiovasculares, identifiquem problemas de saúde e mobilidade, avaliem das condições de habitabilidade e grau de dependência.

ng3460732

Já no lugar de Ferreiros, a “Capitão Moura” divide o grupo e dá as coordenadas. À dupla João Dourado, de 19 anos, e Joana Silva, de 21, calha visitar a última casa no alto do monte. Não se vê vivalma. Junto a um portão de ferro, chamam várias vezes. Não há campainha. Minutos depois, alguém espreita: “O que é que vocês querem?”

[Texto Jornal de Notícias]

Médicos unidos contra proposta do governo

25 de Março de 2014

1964827_749210188457680_12935554_n

A Alumni de Medicina promoveu, na última sexta-feira, dia 21 Março, uma iniciativa com o título “Internato Médico em Debate: Realidades [In]Esperadas”. À mesa estiveram a representante do Conselho Nacional do Médico Interno (CNMI), Drª Cláudia Melo; a médica interna e antiga dirigente estudantil, Drª Mariana Reis Costa; o membro do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), Dr. Rui Guimarães; a presidente do Conselho Distrital de Braga da Ordem dos Médicos, Drª Anabela Correia e o presidente do Conselho Regional do Norte da Ordem dos Médicos (CRNOM), Dr. Miguel Guimarães.

Perante a numerosa assistência que presenciou o debate na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, a Drª. Cláudia Melo enquadrou a discussão na recente proposta apresentada pelo Ministério da Saúde aos parceiros sociais para revisão do regulamento jurídico da formação médica especializada. A dirigente do CNMI e do Alumni da Universidade do Minho qualificou o documento da tutela como “a proposta mais perigosa de sempre” e que agrega “ameaças muito fortes” à organização do internato. “Temos um internato supervisionado por uma entidade autonomia (Ordem dos Médicos), bem organizado e entendo que esse potencial está ameaçado com esta proposta”, referiu.

A Drª Mariana Reis Costa fez uma comparação favorável da organização do internato médico nacional relativamente ao que acontece noutros países. As principais diferenças, citou, estão na garantia de um tutor e na linha de orientação que é estabelecida ao longo da formação específica. Puxando de um espírito sindical que os próprios “Homens da Luta” não desdenhariam, o Dr. Rui Guimarães lembrou as crescentes dificuldades colocadas ao exercício da profissão médica, enfatizando que esta há muito “deixou de ser poesia”. Paradoxalmente, assinalou, sente-se uma crescente acomodação na classe de que é exemplo a vaga de emigração: “é o pior sinal que pode existir, porque significa que as pessoas já nem querem lutar, preferem apenas mudar”. “Se não saírem da zona de conforto, se não saírem do Facebook, não vão resolver nenhum problema”, confrontou o dirigente do SIM.

O Dr. Miguel Guimarães recuperou o debate das alterações ao internato, considerando “inaceitável” o diploma apresentado e lembrando que a tutela “tem a obrigação garantir a formação específica” aos médicos recém-formados. “A Medicina, hoje, não se compadece com a falta de especialização”, observou, lembrando que já no próximo ano vão sair aproximadamente dois mil alunos das escolas médicas para uma capacidade formativa pós-graduada que não ultrapassa os 1600 lugares.

A Drª Anabela Correia, presidente do Conselho Distrital de Braga, lamentou que o Governo esteja a ignorar uma norma europeia que vigora desde 1986 e que determina que só pode exercer Medicina quem tiver diferenciação técnica. “Com esta proposta está-se a cometer um erro grave e com dolo”, reforçou. Para a dirigente será também necessário inverter a tendência de deterioração dos serviços e avançar com a reforma hospitalar, no sentido de recuperar vagas de formação especializada.

[imagem e texto: Nortemédico]

TecMinho: Projecto da ECS vence 1º Prémio

24 de Fevereiro de 2014

TecMinho

O Empreendedorismo inovador gerado na Universidade do Minho foi premiado pela 6.ª vez no “SpinUM – Concurso de Ideias de Negócio”, iniciativa promovida pela TecMinho e Spinpark. A sessão final deste concurso teve lugar no dia 21 de fevereiro no Avepark, atribuindo os galardões às ideias de negócio escolhidas pelo júri como as mais inovadoras e com mais potencial de negócio. As ideias finalistas desta sexta edição do SpinUM são das áreas da Saúde, Segurança, Nanotecnologia, Eletrónica e das TIC .

A ideia vencedora do “1º Prémio SpinUM” foi “medQuizz®” dos promotores José Pêgo, Nuno Santos, Nuno Sousa e Paulo Cabral.  O medQuizz® consiste numa plataforma que permite a criação e gestão de um banco de perguntas e a conceção/execução de testes de avaliação online.

Notícia completa e mais informações em tecminho.uminho.pt.

Universidade do Minho celebra 40 anos

18 de Fevereiro de 2014

1891239_593504630732498_686702353_n

A Universidade do Minho comemorou hoje 40 anos de existência, inaugurando uma exposição que conta a história de cada uma das suas 11 escolas e institutos.

Universidade do Minho com as melhores notas no exame a internato médico

5 de Novembro de 2013

2006-2012

Os médicos formados na Escola de Ciências da Saúde (ECS) da Universidade do Minho são os que apresentam a melhor média na prova de seriação para as especialidades médicas. De acordo com um estudo publicado na Revista Científica da Ordem dos Médicos, os candidatos saídos da ECS obtiveram uma média de 72,33 % nos exames de acesso ao internato realizados no período de 2006 a 2011. Os licenciados na ECS são os que apresentam os melhores resultados na prova de seriação, no conjunto de formados por sete estabelecimentos de ensino superior nacionais e por universidades e escolas médicas estrangeiras.

Da autoria de Isabel Pavão Martins, o estudo ‘Admissão ao Internato Complementar em Portugal: análise dos resultados dos exame nacional de seriação entre 2006 e 2011’ revela que a ECS contribuiu com 3% dos candidatos ao internato complementar naquele período, sendo que os alunos formados na escola minhota e na Universidade da Beira Interior só participaram naquele exame a partir de 2007.

O estudo agora revelado pela Ordem dos Médicos constata que a percentagem de médicos com licenciaturas concluídas em universidades estrangeiras que se candidatam ao exame nacional de seriação tem vindo a crescer. Nos dois últimos anos em análise, os candidatos ‘estrangeiros’ eram 15% do total, ultrapassando, em 2011, o número de candidatos oriundos da Universidade do Minho.

Verificou-se também, nestes últimos anos, um número crescente de portugueses que se licenciam em medicina no estrangeiro e que pretendem regressar ao seu país para a formação pós graduada. A análise dos resultados dos exames nacionais de seriação surge numa altura em que se pondera um novo exame de acesso ao internato complementar.

O actual exame mantém-se inalterado há três décadas, apesar das críticas a um formato que “acaba por promover uma aprendizagem mais superficial e dirigida ao sucesso no exame e não à aquisição de conhecimentos em si”. Com a duração de 150 minutos, o exame consiste num teste escrito com 100 perguntas de escolha múltipla, divididas por cinco áreas da medicina interna e com uma única referência bibliográfica.

O Núcleo de Antigos Estudantes de Medicina (ALUMNI) da Universidade do Minho tem vindo a exigir a alteração do actual modelo de exames de acesso às especialidades médicas. Também a direcção do curso de Medicina da Universidade do Minho tem pugnado por novos modelos de avaliação para o acesso ao internato médico.

Notícia Correio do Minho

Sala cheia debateu Internato Médico

31 de Março de 2013

Internato Médico

A sala de visitas do Espaço Pedro Remy foi pequena para receber os médicos que quiseram participar na tertúlia sobre “o que não vem nos livros” do Internato Médico. A iniciativa, organizada pela Alumni Medicina, contou com a presença de três ilustres convidados que, durante cerca de duas horas, debateram e responderam às questões que lhes foram colocadas.

A conversa contou com a presença da Dra. Cláudia Melo, interna complementar de Pediatria e membro do Conselho Nacional do Médico Interno (CNMI); com o Dr. Rui Guimarães, especialista de Anestesiologia e representante do Sindicato Independente dos Médicos; e com a Dra. Mariana Reis Costa, interna de Medicina Física e Reabilitação e antiga Diretora do Departamento de Educação Não formal da IFMSA (Federação Internacional das Associações de Estudantes de Medicina) e foi moderada pela Dra. Ana Luísa Sousa, interna do ano comum do Hospital de Braga.

Internato Médico

NEMUM organiza jornadas dedicadas à oncologia

9 de Março de 2013

Jornadas_Oncologia_Cartaz

O Núcleo de Estudantes da Medicina da Universidade do Minho (NEMUM) irá realizar no próximo dia 20 de Abril de 2013, na Escola de Ciências da Saúde, as IV Jornadas de Ciência e Medicina, subordinadas ao tema “ONCOLOGIA”.

Esta atividade irá contar com diversas palestras apresentadas por ilustres oradores da área, vindos de diferentes pontos do país, sendo cada uma seguida por um momento de discussão. Serão abordados os seguintes temas: bases moleculares do cancro, microambiente tumoral, invasão e metastização. O público-alvo são os alunos de Medicina, bem como alunos de outros cursos da Universidade do Minho com interesse nesta temática, alunos de outras universidades Portuguesas e Galegas e investigadores nesta área ou áreas afins. São parceiros, nesta actividade, a Reitoria da Universidade do Minho, a Escola Ciências da Saúde e o seu Instituto de Investigação em Ciências da Vida e da Saúde.

Sou médico… e agora!?

14 de Janeiro de 2013

internato_claudiamelo

Está a decorrer a tertúlia “Sou médico… e agora!?” que o NEMUM organizou na Escola de Ciências da Saúde. A Dra. Cláudia Melo, vice-presidente da Alumni Medicina e membro do Conselho Nacional do Médico Interno, está a apresentar os aspectos formais e práticos relacionados com a inscrição e funcionamento da Ordem dos Médicos, as questões relacionadas com a Prova Nacional de Seriação e ainda o ingresso nas diferentes especialidades.

Segue-se a intervenção de Tiago Matos, estudante de Medicina da Universidade de Lisboa, que se encontra a frequentar um estágio no Reino Unido onde pretende continuar a fazer a sua especialidade médica.

A sessão terminará com a intervenção de Alberto Silva que vai explicar as candidaturas para o exercício da Medicina fora do país.

tertulia_publico

Carregar mais
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com