Como a luz e a cor definem a saúde

Galeria de Arte Alumni - Escola de Medicina da Universidade do Minho 14 Dezembro 2019

Adriana Henriques explicou, visitou e até representou na inauguração de "Luz, cor e saúde", a exposição que a artista plástica tem em cena no átrio da Escola de Medicina da Universidade do Minho até 10 de abril de 2019

O espanto no final pode resumir a mescla de sensações que Adriana Henriques quis resumir no projeto apresentado esta segunda-feira, 25 de fevereiro, na Galeria de Arte Alumni, na Escola de Medicina da Universidade do Minho. A artista e curadora surpreendeu com uma performance teatral subordinada ao tema da saúde e que envolveu interação do público, dando uma maior permeabilidade ao discurso, após a explicação de todas as componentes deste projeto que dura há vários anos – e continuará.

Com a presença do vice-presidente da Alumni Medicina, Pedro Morgado, da Presidência da Escola de Medicina, representada por Joana Palha, e com a representação da Ordem dos Médicos, a exposição contou com uma vasta explanação sobre a importância da cor na perspetiva retirada de um hospital – onde Adriana Henriques passou largos meses a pintar, ora a porta aberta, ora a porta fechada.

A estética é uma das valências fulcrais na sua obra, com a cor e a luz a assumirem relevo nas peças que misturam várias cores, com a intenção da autora em criar detalhes que mexam com os visitantes da exposição. No entanto, este projeto conta ainda com perspetivas “mais negras”, com quadros mais sombrias e cruas.

As peças de Adriana Henriques, expostas desde o início de fevereiro, continuarão no átrio da Escola de Medicina até ao início de abril.