A vida de António Magalhães espelhada na apresentação de “Sensações Esgaçadas”

Escola de Medicina da Universidade do Minho 20 Junho 2019

O percurso de António Magalhães não está todo retratado nas pinturas expostas – mas quase. Ao longo das obras de NAIA, o nome artístico de António, vemos várias fases da vida do artista plástico, que apresentou esta segunda-feira, 7 de janeiro, a exposição “Sensações Esgaçadas” na Escola de Medicina da Universidade do Minho.

O projeto, com a curadoria de Adriana Henriques, foi apresentado junto de amigos, que aproveitaram para ir deixando também algumas notas ao longo da visita. Além dos amigos, a inauguração da exposição do Espaço Arte da Alumni Medicina contou ainda com Raquel Dias, da associação de antigos estudantes, e Pedro Morgado, em representação da Escola de Medicina, bem como vários olhares curiosos com a obra.

Entre explicações dos tempos de seminário, das escolhas da mãe e dos quadros com memórias dos anos 80, António Magalhães despertou interesse com as histórias sobre o seu processo criativo e a espontaneidade quase impulsiva na transposição das pinturas da cabeça para a tela.

A exposição “Sensações Esgaçadas” está presente no átrio da Escola de Medicina da Universidade do Minho até fevereiro.